Pular para o conteúdo principal

Orientações acerca da duração das sessões dos operadores no sistema G-MUS

Considerando o grande número de usuários, com as mais diversas configurações de duração de sessão existentes nas diversas instalações do sistema G-MUS, e nossa constante busca em melhorar a segurança de nossos clientes, propiciando, inclusive, segurança aos cidadãos indiretamente atendidos por nossa empresa; vislumbrando fornecer a nossos clientes orientação aderente a realidade local, emitimos a seguinte nota técnica, com algumas sucintas orientações acerca da configuração da duração das sessões dos operadores do sistema:

Atualmente, em nosso sistema, no cadastro de usuários do sistema, existe um campo chamado ‘Duração da sessão’, destinado a configurar de forma individual o tempo de validade de cada login sem atividades. Esta informação sempre é medida em segundos.

É sabido que é extremamente confortável não ser requerido a informar repetidamente usuário e senha para realizar login em ferramenta de trabalho. Este fato, contudo, gera insegurança das informações as quais temos acesso.

De modo geral, sugerimos que seja limitada a não mais que 300 segundos (5 minutos), em caso geral. Quando tratamos do login de profissionais de saúde, a orientação que fornecemos, é que o tempo de login não seja mais que 10% superior ao tempo máximo de atendimento regular, conforme exemplificação: Ex. 1: Para profissionais que têm atendimentos médios de 15 minutos (900 segundos), sugerimos o tempo configurado de 990 segundos (16,5 minutos). Ex. 2: Para profissionais que têm tempo médio de atendimento em 60 minutos (3600 segundos), sugerimos o tempo de sessão em 3960 segundos (66 minutos).

Embora inicialmente seja aparente aos operadores algum transtorno, reiteramos que o ajuste é individual e pode ser controlado de diversas maneiras pelo gestor local do sistema, porém, o tempo de sessão, é o indicador do tempo de inatividade que garantirá que o operador confirme sua identidade, garantindo o sigilo das informações contidas no sistema, que são tão sensíveis e relevantes a nossos cidadãos, alvo de todo nosso trabalho.

Estas orientações também estão disponíveis em nosso manual de segurança.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Hospital Nossa Sra de Fátima implantou o sistema G-HOSP, em Praia Grande - SC

A implantação e o treinamento do sistema de gestão hospitalar G-HOSP foi realizado nesta semana na Associação Hospitalar Nossa Senhora de Fátima, em Praia Grande, Santa Catarina.





Palhoça informatiza sistema de saúde com o G-MUS

Na busca de agilizar o atendimento e diminuir a burocracia em toda a Rede Municipal de Saúde, a Prefeitura Municipal de Palhoça / SC está informatizando todo o sistema com o software G-MUS da Inovadora.


O posto Cambirela foi o primeiro a ser informatizado 100% e o projeto vai se estender para todas as unidades de Saúde de Palhoça. O projeto de informatização vai unificar o cadastro dos cidadãos palhocenses, em todos os módulos de atendimento garantidos pela Constituição Federal. 

O sistema vai armazenar dados, com informações sobre atendimentos e tratamento médico, odontológico, atendimento nas farmácias, registros das vacinas e procedimentos laboratoriais. “Todas as informações dos pacientes estarão registradas no prontuário que poderá ser acessado pelo nome ou pela impressão digital (biometria) do cidadão”, afirma Camilo.


No cadastro informatizado, o sistema ainda vai unificar informações do prontuário que revelam quais os medicamentos que o paciente está usando, inclusive as retiradas…

Sapucaia do Sul implantou o sistema G-MUS na Secretaria de Saúde

O município localizado na região metropolitana de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, iniciou hoje as atividades com o nosso sistema de gestão para a saúde municipal, o G-MUS. 

Com cerca de 140 mil habitantes, a informatização da Saúde em Sapucaia do Sul irá atender de forma qualificada o cidadão, melhorando a gestão e aproveitando melhor os recursos.