Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2020

Esclarecimento sobre o resultado dos quadrimestres e valor fixado em portaria

Referente a informação da portaria nº 2.632 de 2020, v ale ressaltar que a ela está informando o valor fixo dos indicadores a todos municípios Brasileiros, levando em conta que o MS, estava pagando os municípios a competência de até a setembro 2020 o valor referente ao 3º ciclo do PMAQ, conforme portaria nº 2.769 - programa Previne Brasil.  A partir  da competência 10 os município brasileiros receberão esse valor fixo até dezembro 2020.  E a partir de janeiro de 2021 os indicadores serão calculados conforme regras do MS conforme produção. Leia a Portaria: PORTARIA Nº 2.632, DE 29 DE SETEMBRO DE 2020 DISPÕE SOBRE A ALTERAÇÃO DO PRAZO PARA ALCANCE DA META DE CADASTRO DOS USUÁRIOS DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE (SUS) NO SISTEMA DE INFORMAÇÃO EM SAÚDE PARA A ATENÇÃO BÁSICA (SISAB), PREVISTO NO ART. 4º DA PORTARIA Nº 3.263/GM/MS, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2019, QUE ESTABELECE O INCENTIVO FINANCEIRO DE CUSTEIO FEDERAL PARA IMPLEMENTAÇÃO E FORTALECIMENTO DAS AÇÕES DE CADASTRAMENTO DOS USUÁRIOS DO SISTE

Consulta Online: para que serve e quais as vantagens?

A implementação da telemedicina no Brasil vem sendo discutida pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) há anos e, recentemente, com a pandemia mundial da Covid-19, o tema ganhou força novamente. O modelo foi amplamente adotado por conta das regras e recomendações de distanciamento social, tornando-se uma necessidade para a realização dos atendimentos à distância e acompanhamento dos pacientes. Ela foi aprovada pela Portaria nº 467 do Governo Federal, que libera a realização de atendimentos à distância durante a pandemia, com o objetivo de atender mais pacientes, além de evitar aglomerações em hospitais e centros de saúde. Para isso, é essencial contar com recursos tecnológicos adequados, que garantam a segurança e a eficiência deste modelo de atendimento.  Embora tenha sido uma medida de caráter excepcional e temporário, a telessaúde é um modelo que deve ser mantido mesmo após a pandemia do coronavírus e ganhar ainda mais espaço, gerando novas oportunidades para as instituições de saúde

Ministério da Saúde prorroga o prazo do cadastramento na Atenção Primária

Com isso, os Municípios terão mais tempo para alcançar a meta de cadastro de usuários nas equipes de Saúde da Família. Por causa da pandemia, o prazo referente aos quatro primeiros meses de 2020 foi prorrogado para dezembro deste ano.  A alteração foi definida pela Portaria Nº 2.632/2020 publicada no Diário Oficial da União no dia 30/09/2020. Leia na integra: PORTARIA Nº 2.632, DE 29 DE SETEMBRO DE 2020 Dispõe sobre a alteração do prazo para alcance da meta de cadastro dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) no Sistema de Informação em Saúde para a Atenção Básica (SISAB), previsto no art. 4º da Portaria nº 3.263/GM/MS, de 11 de dezembro de 2019, que estabelece o incentivo financeiro de custeio federal para implementação e fortalecimento das ações de cadastramento dos usuários do Sistema Único de Saúde, no âmbito da Atenção Primária à Saúde. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições que lhe conferem os incisos I e II do parágrafo único do art. 87 da Constituição Federal

Como adaptar a unidade de atenção primária para a telessaúde

As unidades de Atenção Primária à Saúde (APS) certamente tiveram seu funcionamento alterado a partir do início da pandemia por Covid-19.  As recomendações de distanciamento social diminuíram o acesso dos pacientes, enquanto que os atendimentos precisaram ser adaptados ao crescente número de casos de infecção pelo novo coronavírus. A ferramenta mais utilizada para diminuir os impactos dessa dificuldade por atendimento é a telemedicina que permite o atendimento mantendo o isolamento domiciliar dos pacientes. Mas o desafio de incluir esse recurso no rol de serviços oferecidos pelas unidades de APS vai além da capacitação dos médicos ou da aquisição de novas tecnologias. A unidade inteira precisa se adaptar e todos os seus profissionais devem participar desse processo. Telemedicina na Atenção Primária A Universidade de Oxford lançou o documento “Consulta por Vídeo: Um Guia Prático”, que orienta os primeiros passos para estabelecer as teleconsultas como parte da rotina da unidade. Segundo o

A telemedicina vai continuar quando a pandemia acabar?

Você já deve ter lido alguma notícia ou assistido à alguma reportagem sobre telemedicina no Brasil. E provavelmente isso aconteceu depois que a pandemia de Covid-19 começou. Isso porque foi nesse período que o Ministério da Saúde e o Conselho Federal de Medicina passaram a permitir, em caráter emergencial, a prática da telemedicina. Desde então, profissionais e empresas da área da saúde precisaram se adaptar a essa nova realidade e, para isso, contaram com uma aliada importante: a tecnologia.  Com certeza quando falei em tecnologia você pensou nos equipamentos para as vídeo-chamadas e no prontuário eletrônico. Mas uma tecnologia que também é fundamental para a prática da telemedicina é a assinatura digital. Sim! Sem isso, o paciente que fez a consulta à distância, precisaria se deslocar ao consultório para buscar o receituário ou o atestado assinado pelo médico. Vou te explicar melhor como essa tecnologia funciona e aproveitar para falar um pouco sobre o futuro da telemedicina. A teles