Pular para o conteúdo principal

A telemedicina vai continuar quando a pandemia acabar?





Você já deve ter lido alguma notícia ou assistido à alguma reportagem sobre telemedicina no Brasil. E provavelmente isso aconteceu depois que a pandemia de Covid-19 começou. Isso porque foi nesse período que o Ministério da Saúde e o Conselho Federal de Medicina passaram a permitir, em caráter emergencial, a prática da telemedicina. Desde então, profissionais e empresas da área da saúde precisaram se adaptar a essa nova realidade e, para isso, contaram com uma aliada importante: a tecnologia. 

Com certeza quando falei em tecnologia você pensou nos equipamentos para as vídeo-chamadas e no prontuário eletrônico. Mas uma tecnologia que também é fundamental para a prática da telemedicina é a assinatura digital. Sim! Sem isso, o paciente que fez a consulta à distância, precisaria se deslocar ao consultório para buscar o receituário ou o atestado assinado pelo médico. Vou te explicar melhor como essa tecnologia funciona e aproveitar para falar um pouco sobre o futuro da telemedicina.

A telessaúde e a Assinatura Digital

Como comentei, em março o Ministério da Saúde emitiu a Portaria nº 467, que autoriza a telemedicina nas redes pública e privada e contempla a emissão de receitas e atestados médicos à distância. Mas, para emitir esses documentos, o médico precisa de uma assinatura digital que atenda ao padrão ICP-Brasil. Para atender a esta necessidade, nós da Inovadora Sistemas aprimoramos nossos serviços e lançamos as soluções de Assinatura Médica.

A Assinatura Médica é uma tecnologia usada para dar validade jurídica a prescrições, atestados, solicitação de exames e relatórios médicos digitais. A nossa solução tem assinatura digital dentro dos  padrões exigidos pelos órgãos regulamentadores: Conselho Federal de Medicina (CFM), Conselho Federal de Farmácia (CFF) e Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI). Além disso, atende todos os demais formatos e normas de assinatura digital aprovados pela ICP-Brasil.  

Com a assinatura digital, os profissionais da saúde podem emitir receituários e atestados médicos de forma segura, pois a tecnologia garante a integridade do documento e impede fraudes. Além disso, ela também reduz custos, dispensando o uso do papel, de impressão e de deslocamento, e facilita o processo para o paciente. 

E o que já está sendo feito?

Como as empresas da área da saúde estão usando a tecnologia para se adaptar à nova realidade trazida pela pandemia? Esse de um dos webinars da Série Transformação Paperless da Bry Tecnologia - parceira da Inovadora, que aconteceu no final de agosto. Confira o webinar completo

O que mais separamos pra você!

Senado aprova MP que fixa regras para assinatura digital em documentos de órgãos públicos (Portal G1)

A Medida Provisória 983/20, que cria os dois novos tipos de assinatura eletrônica para serem usados em documentos públicos, foi aprovada pelo Senado Federal. A proposta, que também regulamenta a assinatura digital para profissionais da saúde, segue para sanção presidencial. Esta matéria do G1 explica quais são os tipos de assinatura permitidos pela MP. 

Busca por assinatura digital de documentos impulsiona empresas da área (Revista PEGN)

A busca por soluções para manter empresas e governos funcionando durante o período de distanciamento social impulsionou significativamente a adoção da assinatura digital, usada por diferentes segmentos de negócio. Leia a matéria da Revista PEGN.


Fonte: Bry Tecnologia por Gabriela De Rolt

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça o Programa Previne Brasil e o novo modelo de financiamento de custeio da APS

NOTA TÉCNICA 01/2020 Considerando a Portaria nº 2.979/GM/MS, de 12 de novembro de 2019, que institui o Programa Previne Brasil , e estabelece novo modelo de financiamento de custeio da Atenção Primária à Saúde no âmbito do Sistema Único de Saúde, por meio da alteração da Portaria de Consolidação nº 6/GM/MS, de 28 de setembro de 2017; Considerando a portaria nº 3.222, de 10 de dezembro de 2019, dispõe sobre os indicadores do pagamento por desempenho, no âmbito do Programa Previne Brasil. Art. 6º O conjunto de indicadores do Pagamento por Desempenho a ser observado na atuação das Equipes de Saúde da Família (ESF) e Equipes de Atenção Primária (EAP), para o ano de 2020, abrange as ações estratégicas de Saúde da Mulher, Pré-Natal, Saúde da Criança e Doenças Crônicas (Hipertensão Arterial e Diabetes Melittus). § 1º São indicadores para o ano de 2020: I - proporção de gestantes com pelo menos 6 (seis) consultas pré-natal realizadas, sendo a 1ª até a 20ª semana de gestação; II - proporção

Palhoça informatiza sistema de saúde com o G-MUS

Na busca de agilizar o atendimento e diminuir a burocracia em toda a Rede Municipal de Saúde, a Prefeitura Municipal de Palhoça / SC está informatizando todo o sistema com o software G-MUS da Inovadora. O posto Cambirela foi o primeiro a ser informatizado 100% e o projeto vai se estender para todas as unidades de Saúde de Palhoça.  O projeto de informatização vai unificar o cadastro dos cidadãos palhocenses, em todos os módulos de atendimento garantidos pela Constituição Federal.  O sistema vai armazenar dados, com informações sobre atendimentos e tratamento médico, odontológico, atendimento nas farmácias, registros das vacinas e procedimentos laboratoriais.  “Todas as informações dos pacientes estarão registradas no prontuário que poderá ser acessado pelo nome ou pela impressão digital (biometria) do cidadão”, afirma Camilo. No cadastro informatizado, o sistema ainda vai unificar informações do prontuário que revelam quais os medicamentos que o paciente está usando, inclusi

Saiba como fica o registro de vacinas com o fim do SI-PNI

O Ministério da Saúde, através da PORTARIA nº 2.499 de 23/09/2019, anunciou o fim do Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização (SI-PNI e API Web) será encerrado no prazo de 60 (sessenta) dias, contados a partir da publicação desta Portaria. Com isso, o registro de dados de aplicação de vacinas e de outros imunobiológicos a ser realizado nas Unidades de Atenção Primária à Saúde deverão ser realizados exclusivamente  no Prontuário Eletrônico do Cidadão (PEC);  na Coleta de Dados Simplificada (CDS); ou  nos sistemas próprios ou de terceiros devidamente integrados ao SISAB, de acordo com a documentação oficial de integração disponível no sítio eletrônico do e-SUS AB. Informamos também que Inovadora já possui em seu sistema o módulo de Imunizações (vacinas) que contempla os registros das aplicações de vacinas e de outros imunobiológicos e estará sendo integrado ao SISAB, bem como as adaptações conforme a documentação oficial disponibilizada e o prazo do Ministério