Pular para o conteúdo principal

Sete tendências da tecnologia para área da Saúde

O contexto atual mostra que a influência do mundo digital no segmento da saúde é notável. 

Levantamento do Google, de 2019, mostra que 26% dos brasileiros recorrem ao buscador para pesquisar sobre temas relacionados à saúde, e reforça a preponderância dos resultados online no processo de decisão. Os dados na palma da mão facilitam o acesso a qualquer momento e em qualquer lugar e, diante disso, os profissionais de saúde devem aproveitar as tendências em tecnologia, comunicação e marketing para adaptarem-se ao novo padrão de consumo, impulsionar o relacionamento médico-paciente e torná-lo cada vez mais humanizado.
 


Há diversos meios para deixar mais simples os processos nos consultórios, garantir fluidez na comunicação e facilidade no acesso às informações dos pacientes. Confira abaixo as sete principais tendências para a área médica no segundo semestre de 2020:

1) Transformação digital

A transformação digital – processo em que a empresa se posiciona como negócio digital – não é um termo novo, mas deve se intensificar no segundo semestre de 2020. As healthtechs – startups que combinam tecnologia e serviços médicos – surgem para transformar o relacionamento entre médicos, pacientes, consultórios e hospitais. Por meio de soluções tecnológicas, é possível automatizar processos, aperfeiçoar o modelo de negócio e nortear as ações com foco na experiência do usuário.

2) Lei Geral de Proteção aos Dados Pessoais (LGPD)

A LGPD regulamenta a coleta e o tratamento de informações de pessoas por empresas públicas e privadas. Um dos principais pontos da medida refere-se ao armazenamento de dados sensíveis, que podem gerar alguma discriminação da pessoa, a exemplo de diagnósticos e doenças salvos em sistemas online. Será preciso adotar ferramentas com rigorosa certificação de segurança para proteger tais informações. A lei entrará em vigor em 2021, mas é uma ação que já pode ser implantada agora.

3) Automação de processos

Utilizar ferramentas e serviços para otimizar o dia a dia, facilitar a gestão da clínica ou consultório e entregar uma experiência diferenciada ao paciente é tendência no setor de saúde. No mercado há softwares completos – que cruzam informações e analisam o fluxo de dados – com agenda personalizada, prontuário eletrônico, telemedicina, serviços de finanças, gestão de dados, marketing médico e outras ferramentas de relacionamento com pacientes.

4) Experiência do usuário

A maioria das pessoas pesquisam sobre determinado assunto pelo smartphone e, por isso, é fundamental adaptar os canais de comunicação do consultório para os dispositivos móveis para potencializar o alcance do negócio e manter uma boa relação entre médico e paciente. É uma atitude básica, mas que nem todos os profissionais se atentaram. Com os atendimentos a distância, devido à pandemia do novo coronavírus, é essencial garantir essa experiência ao usuário.

5) Atendimento remoto

Um recurso que deve permanecer no setor de saúde é a telemedicina, regulamentada em março deste ano em função da pandemia da Covid-19. Para garantir a segurança das pessoas e continuar com os atendimentos, as consultas por chamadas de vídeo são formas eficientes de manter o relacionamento próximo com os pacientes. O ideal é utilizar plataformas próprias, uma vez que elas proporcionam toda a segurança e a privacidade dos usuários. A plataforma do iMedicina, empresa de tecnologia em saúde, é gratuita para todos os médicos do Brasil e possui protocolos avançados de segurança – com hospedagem de dados em servidores da Amazon AWS, mesmo dos bancos digitais, já em conformidade com a Lei Geral de Proteção aos Dados Pessoais (LGPD).

6) Conteúdo audiovisual

Conhecimento em formato de vídeo ajuda a gerar confiança, credibilidade e envolvimento com o público-alvo. Os vídeos são ferramentas interessantes para criar autoridade do profissional, divulgar informação de qualidade, educar e trazer segurança ao paciente, que pesquisa na internet diversos assuntos relacionados à saúde, principalmente quando está com algum sintoma. Com certeza, os profissionais que investirem nesse formato sairão na frente.

7) Marketing médico

Poucos médicos ainda utilizam da estratégia do marketing médico. Por isso, continua como forte tendência para o segundo semestre de 2020. A presença digital dos profissionais de saúde torna-se cada vez mais determinante para atrair, aproximar e fidelizar pacientes. Mais pessoas estão acessando a internet para encontrar informações sobre saúde e é fundamental contar com um posicionamento digital qualificado.



Fonte: medicinasa.com.br

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Palhoça informatiza sistema de saúde com o G-MUS

Na busca de agilizar o atendimento e diminuir a burocracia em toda a Rede Municipal de Saúde, a Prefeitura Municipal de Palhoça / SC está informatizando todo o sistema com o software G-MUS da Inovadora.


O posto Cambirela foi o primeiro a ser informatizado 100% e o projeto vai se estender para todas as unidades de Saúde de Palhoça. O projeto de informatização vai unificar o cadastro dos cidadãos palhocenses, em todos os módulos de atendimento garantidos pela Constituição Federal. 

O sistema vai armazenar dados, com informações sobre atendimentos e tratamento médico, odontológico, atendimento nas farmácias, registros das vacinas e procedimentos laboratoriais. “Todas as informações dos pacientes estarão registradas no prontuário que poderá ser acessado pelo nome ou pela impressão digital (biometria) do cidadão”, afirma Camilo.


No cadastro informatizado, o sistema ainda vai unificar informações do prontuário que revelam quais os medicamentos que o paciente está usando, inclusive as retiradas…

Saiba como fica o registro de vacinas com o fim do SI-PNI

O Ministério da Saúde, através da PORTARIA nº 2.499 de 23/09/2019, anunciou o fim do Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização (SI-PNI e API Web) será encerrado no prazo de 60 (sessenta) dias, contados a partir da publicação desta Portaria.
Com isso, o registro de dados de aplicação de vacinas e de outros imunobiológicos a ser realizado nas Unidades de Atenção Primária à Saúde deverão ser realizados exclusivamente no Prontuário Eletrônico do Cidadão (PEC); na Coleta de Dados Simplificada (CDS); ou nos sistemas próprios ou de terceiros devidamente integrados ao SISAB, de acordo com a documentação oficial de integração disponível no sítio eletrônico do e-SUS AB.

Informamos também que Inovadora já possui em seu sistema o módulo de Imunizações (vacinas) que contempla os registros das aplicações de vacinas e de outros imunobiológicos e estará sendo integrado ao SISAB, bem como as adaptações conforme a documentação oficial disponibilizada e o prazo do Ministério.
Os clientes que…

Conheça o Programa Previne Brasil e o novo modelo de financiamento de custeio da APS

NOTA TÉCNICA 01/2020

Considerando a Portaria nº 2.979/GM/MS, de 12 de novembro de 2019, que institui o Programa Previne Brasil, e estabelece novo modelo de financiamento de custeio da Atenção Primária à Saúde no âmbito do Sistema Único de Saúde, por meio da alteração da Portaria de Consolidação nº 6/GM/MS, de 28 de setembro de 2017;

Considerando a portaria nº 3.222, de 10 de dezembro de 2019, dispõe sobre os indicadores do pagamento por desempenho, no âmbito do Programa Previne Brasil.

Art. 6º O conjunto de indicadores do Pagamento por Desempenho a ser observado na atuação das Equipes de Saúde da Família (ESF) e Equipes de Atenção Primária (EAP), para o ano de 2020, abrange as ações estratégicas de Saúde da Mulher, Pré-Natal, Saúde da Criança e Doenças Crônicas (Hipertensão Arterial e Diabetes Melittus).

§ 1º São indicadores para o ano de 2020:
I - proporção de gestantes com pelo menos 6 (seis) consultas pré-natal realizadas, sendo a 1ª até a 20ª semana de gestação;
II - proporção de gestan…